Resumo do Documentário LOS ABANDONADOS
Em 1994, o maior atentado terrorista do ocidente antes dos ataques de 11 de Setembro de 2001 aconteceu em Buenos Aires, na Argentina. A explosão da Amia, um ataque ao centro comunitário judaico Associação Mutual Israelita-Argentina, matou 85 pessoas e feriu centenas. A investigação do atentado, marcada inicialmente por erros de procedimento, ocasionalmente passou para as mãos do promotor Natalio Alberto Nisman, que havia sido nomeado promotor especial pelo presidente Néstor Kirchner em 2004. O objetivo de Nisman era investigar o atentado à Amia, determinar os responsáveis e levá-los a julgamento.

A investigação do promotor levou uma década e abrangeu uma ampla análise de documentos vazados ao público, correspondências estrangeiras e escutas telefônicas. Em sua investigação, o promotor apontou que o governo da República Islâmica do Irã era responsável por planejar o ataque, e agentes do Hezbollah haviam executado o plano. À medida que as investigações avançaram, Nisman concluiu que o governo de seu próprio país havia tentado encobrir o envolvimento dos suspeitos iranianos com o interesse de restabelecer algumas relações comerciais. Em 14 de janeiro de 2015, Nisman acusou a atual presidente argentina Cristina Fernández de Kirchner, o ministro das Relações Exteriores Héctor Timerman e outras autoridades governamentais de encobrir a participação do Irã na explosão da Amia. Quatro dias depois, o promotor foi encontrado morto com um tiro na cabeça em seu apartamento. Algumas horas depois ele iria apresentar suas descobertas ao Congresso. Inicialmente anunciada como suicídio, a morte de Nisman se tornou tema de uma investigação argentina e internacional, com grandes suspeitas do envolvimento de terceiros.

Los Abandonados, um documentário da Electrolift Creative, conta, através de um relato original em primeira pessoa, a história do atentado à Amia, a investigação feita por Nisman e sua morte. O documentário traz à tona alegações de que o Irã praticou atentados contra locais judaicos na Argentina e depois tramou com figuras argentinas para assassinar o procurador, que estava prestes a fazer acusações contra a presidente argentina Cristina Fernández de Kirchner. O filme também explica, por meio de palavras do próprio Nisman, a constatação de que o Irã atacou a AMIA em retaliação à Argentina terminar o seu apoio ao programa nuclear iraniano.

Esta produção traz entrevistas com jornalistas argentinos, incluindo Daniel Santoro do Clarín e Hugo Alconada Mon do La Nación, autoridades públicas como o ex-secretário de Inteligência Miguel Ángel Toma, as deputadas Elisa Carrió e Patricia Bullrich, entre outros. Com as recordações de cada um sobre o atentado à Amia, o andamento das investigações ao longo de dez anos, a vida de Nisman, seus esforços para esclarecer os fatos e sua morte, Los Abandonados tece uma cronologia contextualizada que destaca as relações entre as atividades terroristas iranianas, as dinâmicas regionais e a corrupção que impregna o governo argentino.

Mais de um oito meses da morte de Nisman, as investigações ainda estão em andamento, sem qualquer perspectiva clara de resolução. Ao se concentrar em lembranças individuais, Los Abandonados apresenta uma visão ampla e completa da tragédia da Amia, na esperança de servir de registro dos esforços de Nisman e sua importância tanto para a sociedade argentina como para a comunidade internacional.

Sobre os cineastas

Matthew A. Taylor – Direção/Roteiro/Produção/Edição

Matthew A. Taylor estava no meio de uma produção que seria sua estreia como diretor – um documentário sobre o controverso artista francês Marcel Duchamp -, quando ele e seu amigo Alan Peterson (produção/roteiro) leram sobre a morte do promotor argentino Alberto Nisman na imprensa americana, em janeiro de 2015. Depois de pesquisar sobre o histórico do ataque terrorista à Amia e o trabalho de Nisman, Matthew sabia que ali havia uma história envolvente a ser contada com grande relevância social internacional. Então ele deixou de lado seu projeto sobre Duchamp e decidiu produzir Los Abandonados e fazer dele sua estreia na direção de um longa-metragem. 

Antes de entrar para a produção de filmes para a televisão há uma década, Matthew era um artista de vídeo e performance que já havia mostrado seu trabalho em diversas galerias e outros espaços. Profissionalmente, ele aprimorou um estilo distinto em comerciais de televisão e no show Battlefield Diaries, do canal The Military Channel.

Com o passar do tempo, Matthew começou a trabalhar em documentários longa-metragem de temas variados. Ele já filmou ao redor do mundo, em países como Polônia, França, Itália, Guatemala e Albânia. E filmou muitas entrevistas com especialistas, tais como Lech Walesa Lech Walesa, Vaclav Havel, Sam Donaldson, Walter Isaacson, George W. Bush, Buzz Aldrin, Douglas Brinkley e Ron Maxwell documentários de longa-metragem. Enquanto gravava entrevistas com grandes personalidades em eventos históricos modernos como apoio a diversas produções, seu foco como um cineasta independente era contar a história de visionários que lutavam contra obstáculos sociais e políticos em defesa de seus ideais, perfil no qual Duchamp e Nisman se encaixam. 

Além do trabalho em longa-metragem, Matthew já produziu e dirigiu mais de 100 curtas dos mais variados temas, desde vanguarda a vídeos de música. Atualmente, ele tem diversos documentários e longas em andamento. 

Matthew é o fundador e proprietário da Electrolift Creative em Nova York. Depois que completar seu filme sobre Duchamp, ele já tem programado iniciar os trabalhos no longa sobre outro visionário controverso: o construtor americano Robert Moses. 

Notas sobre as futuras produções de Matthew A. Taylor

Readymade é um documentário de longa-metragem que explora a vida, o trabalho e o impacto causado por Marcel Duchamp na cultura contemporânea. O filme aborda a história do modernismo e como o ceticismo de um homem liberou uma infinidade de oportunidades criativas que se expandiram muito além das fronteiras da arte, para áreas incluindo tecnologia e ciência. Readymade usa as mentes mais brilhantes da atualidade para tecer uma narrativa, contando com historiadores de arte como Francis Naumann e Michael Taylor, amigos de Duchamp como Paul Matisse, artistas contemporâneos e pessoas influentes da indústria. Readymade será um filme que busca explicar o conceito do cotidiano em que vivemos através da vida de quem a definiu, Marcel Duchamp.

Cathedral of Asphalt é um documentário de longa-metragem que explora a vida, o trabalho e o impacto do grande construtor Robert Moses.  O filme foca primeiramente as grandes obras de Moses e o impacto que seus trabalhos grandiosos tiveram nos 40 anos desde que deixou seus 12 diferente escritórios. Além disso, o longa abrange o conceito da cidade em escala global e o papel que a infraestrutura e os edifícios têm na sociedade em expansão. Queremos responder a pergunta “o que significaria se os Estados Unidos reduzissem seu esforço de construção para estimular a preservação, enquanto o resto do mundo adota os princípios defendidos por Moses para ampliar sua infraestrutura e seu poder?”. Cathedral of Asphalt vai entrevistar arquitetos, políticos, historiadores e pessoas que conheciam ou foram afetadas pela “doutrina Moses”. 

Alan Peterson – Roteiro/Produção

Nos últimos 20 anos, Alan Peterson construiu uma experiência única na produção de vídeos e filmes. Ele produziu os longa-metragens independentes Escape from Alaska (Avalanche, no Brasil) e Fortune Cookie, assim como fez o roteiro de White Shark: Outside the Cage para o National Geographic Explorer. 

Peterson já escreveu, produziu e dirigiu quatro documentários longos com um orçamento total de quase US$ 4 milhões, incluindo a história do inventor e biotecnolólogo Wayne Quinton. Recentemente, ele finalizou o drama histórico em curta-metragem If These Walls Could Talk, a história da última viagem de vagão coberta dos Estados Unidos.

Alan já filmou em todo o mundo, de Istambul a Kathmandu, passando pela Itália e Yukon, no Canadá. Seja em temperaturas congelantes ou no fundo do oceano, sua produção é extensa.

Ele trabalhou para os canais CBS, NBC, ABC, FOX, Disney, Buena Vista, The Travel Channel, e Entertainment Tonight. Alan carrega uma perspectiva de produção dos dois lados das câmeras. Já atuou em filmes do Disney Channel e da HBO, episódios de Touched by an Angel e Promised Land. Mais recentemente, trabalhou no independente The Cokeville Miracle, e destaca o privilégio de trabalhar com Anthony Hopkins no longa The World’s Fastest Indian (Desafiando Limites, no Brasil).  

Seu trabalho de dublagem é ouvido no mundo todo, tanto em Naked Science: Iceland Volcano Eruption, produzido pela National Geographic e indicado ao Emmy em 2010, quanto em Building the Ultimate Cruise Ship—Freedom of the Seas, lançado pelo Discovery Channel em 2006.

Alan é bacharel em comunicações pela Universidade de Utah e fez outros estudos na Universidade de Cambridge em Londres. 

Kasey Kirby – Roteiro/Direção de Fotografia

Depois de uma guinada profissional em que deixou o campo da contabilidade em 2005, Kasey passou a trabalhar como diretor de fotografia e editor após a conclusão do curso de filme/vídeo na American University. 

Sua experiência passa por plataforma de gênero e se espalha mundialmente, com filmagens em mais de 20 países. Com prática em diversas produções, de TV a documentários de longa-metragem, Kasey desenvolveu interesse pela busca da verdade, e trouxe histórias envolventes de qualquer lugar do mundo para a audiência. 

Kasey já foi editor e diretor de fotografia em diversos programas da National Geographic e  Discovery, e já trabalhou como diretor de fotografia e editor em mais de 15 longas exibidos em diversos canais como PBS, Netflix, etc. Ele já trabalhou com inúmeras organizações internacionais, entre elas a ONU e ONGs de menor porte ao redor do mundo.

Mais recentemente, Kasey exigiu seu longa Dog Days no Festival de Cinema de Austin,  em outubro de 2013. Neste mesmo evento, ele também atuou como jurado na categoria de documentários curtos. Vale destacar ainda que o primeiro documentário longo em que Kasey trabalhou como diretor de fotografia, chamado As We Forgive, foi filmado em Ruanda e venceu o prêmio de melhor documentário no Student Academy Awards. 

Kasey é freelance em Washington, D.C.

 

Los Abandonados (Título-BR: Os Abandonados)

Duração: 01:17:56:21
Formato: HD: 1920 x1080
2.39:1 Matte (Letterbox)

Ficha Técnica:

Uma produção de Electrolift Creative
Direção: Matthew A. Taylor
Roteiro: Matthew A. Taylor, Alan Peterson, Kasey Kirby
Cinematografia: Matthew A. Taylor, Kasey Kirby
Contacto: Dan Fleuette
Electrolift Creative, Distributor
Info@losabandonados.com
©2015 Los Abandonados